Hollywood Forever TV
Twitter Hollywood Forever TVYoutube Hollywood Forever TVInstagram Hollywood Forever TV

Freddie Mercury foi o maior cantor da história e aqui estão as provas

Nesta quarta-feira (24), completam-se 30 anos desde que Freddie Mercury nos deixou

@nic_bastos | Publicado em 24/11/2021, às 13h00

Freddie Mercury durante uma de suas muitas apresentações icônicas - Reprodução
Freddie Mercury durante uma de suas muitas apresentações icônicas - Reprodução

Freddie Mercury se consagrou como vocalista na banda Queen, onde definitivamente fez história na indústria musical, sendo um dos maiores - senão o maior - cantores que a indústria já viu florescer. Nesta quarta-feira (24) completam-se exatos 30 anos que o artista nos deixou, vítima de complicações decorrentes do vírus da AIDS. 

👉 ASSINE NOSSA NEWSLETTER 👈

Nascido em 1946, se estivesse vivo, Freddie Mercury estaria com 75 anos. De espírito livre, criativo, com uma voz poderosa e uma presença de palco sem igual, são muitos os momentos do cantor que podem comprovar que ele foi, e ainda é, de fato, uma figura imbatível e inigualável. O HFTV entrou na missão de separar alguns deles para você!

Olha só 👇

Contra fatos não há argumentos!

Primeiro de tudo, nada melhor do que a ciência para comprovar que Freddie Mercury é o maioral. E ai se tivermos negacionistas por aqui! Em 2015, buscando entender o que havia de tão especial na voz do artista, pesquisadores europeus conduziram um estudo sobre seus registros musicais. 

Eles fizeram uma análise acústica da produção vocal e estilo de canto do vocalista, consultando tipos de gravações sonoras diferentes disponibilizadas publicamente. Foram feitas análises de seis entrevistas que acabaram por revelar que o cantor tinha uma frequência de 117.3 Hz na entonação da voz, o que é mais comum em barítonos  (voz intermediária entre tenores e baixos).

As cordas vocais de Freddie também simplesmente se movimentavam mais rápido que as da maioria das pessoas. Enquanto um vibrato poderia vibrar por volta de 5.4 Hz e 6.9 Hz, Freddie vibrava 7.04 Hz. A descoberta foi que o grande diferencial da estrela estava nesse fator, que segundo eles, se diferenciava dos intérpretes de canto lírico. Poderoso!

Freddie Mercury possui um

Freddie Mercury andou para que Harry Styles pudesse correr!

Levando sua figura como cantor de rock a um lugar jamais visto antes na indústria, Freddie Mercury não deixou a moda de lado. Muito pelo contrário, apostou nela como ferramenta para a construção de sua identidade, e consequentemente de sua música. Quebrou diversas barreiras da época pelos trajes chamativos, apertados, decotados, muitas vezes considerados como algo mais feminino.

Além disso, compunham o visual excêntrico - e famoso entre o público: bigodinho e os dentes tortos.

Freddie in the house!

Não há ninguém que domine o palco como Freddie Mercury faz. A prova perfeita disso é sua apresentação mais memorável, um show que ele fez em 1985 no Wembley Stadium, em Londres, durante o festival de música Live Aid. Diante de 72 mil pessoas (incluindo princesa Diana e o príncipe Charles), o músico promoveu um aquecimento vocal junto ao público, que acabou entrando para a história, sendo lembrado até hoje. 

Na época, os apenas vinte minutos de apresentação foram o bastante para que a performance do Queen ganhasse da Rádio BBC de Londres o título de melhor apresentação ao vivo de todos os tempos.

Freddie Mercury dedos de ouro

Freddie não arrasava só quando colocava as mãos no microfone ou em algum instrumento musical. O cantor também merece crédito pelas composições históricas as quais dedilhou. São dele as letras de algum dos maiores clássicos do rock - talvez até da música no geral - como é o caso da icônica Bohemian Rhapsody.

Com uma letra complexa e uma melodia que consegue nos transmitir um misto de diferentes sensações, o hit é o exemplo perfeito dos lugares onde a mente de Mercury podia nos levar.

Eternamente presente

Freddie Mercury e seu legado são lembrados de muitas formas até hoje. Histórico, em 1988,  gravou o álbum Barcelona, que contava com a participação da cantora lírica Montserrat Caballé. Quando a cidade então sediou as Olimpíadas de 1992, quatro anos depois, a abertura do evento incluiu uma apresentação da artista em um dueto virtual com o cantor, que havia morrido apenas quatro meses antes.

Um momento mais atual exemplifica exatamente seu poder, mesmo depois de décadas sem estar fisicamente entre nós. Freddie Mercury também teve uma participação póstuma, por meio de um vídeo exibido, na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres. Olha só:

E aí, Hollyweird, concorda que é o maior cantor da história?


Eu ouvi FILMES PARA VER DE RESSACA? Sim! E o tema da vez no novo quadro do HFTV é TERROR CIRÚRGICO, ou BODY HORROR!