Hollywood Forever TV
Twitter Hollywood Forever TVYoutube Hollywood Forever TVInstagram Hollywood Forever TV

As mais chocantes revelações de Evan Rachel Wood em Phoenix Rising

As revelações de Evan Rachel Wood sobre Marilyn Manson em Phoenix Rising são desconcertantes...

@helograssi Publicado em 18/03/2022, às 13h35 - Atualizado em 19/03/2022, às 14h59

As revelações de Evan Rachel Wood sobre Marilyn Manson Phoenix Rising são desconcertantes... - Divulgação/HBO Max
As revelações de Evan Rachel Wood sobre Marilyn Manson Phoenix Rising são desconcertantes... - Divulgação/HBO Max

O relacionamento conturbado e abusivo de Marilyn Manson com a atriz Evan Rachel Wood é o principal tema do documentário Phoenix Rising, dirigido por Amy Berg e produzido pela HBO. Detalhes absurdos e desconcertantes sobre o comportamento do cantor vêm à tona nos episódios da série documental e aqui estão oito deles 👇

+ Marilyn Manson processa Evan Rachel Wood por alegações de abuso
+ Evan Rachel Wood revela detalhes assustadores dos abusos de Marilyn Manson
+ Fãs "satanistas" de Marilyn Manson ameaçam Evan Rachel Wood

AMEAÇAS 

Com medo da exposição, Marilyn Manson ameaçou Wood e também seus parentes. "Ele falou que iria destruir minha família, começando pelo meu pai. Eu tenho um filho e isso é assustador. Mencionar ele sem uma rede de apoio é arriscado."


SEDUÇÃO

Wood relata que, quando se conheceram, o músico a seduziu. Ele elogiou o seu trabalho, dizendo que ela era bastante madura para a idade, e ofereceu um emprego a ela. Em uma noite, enquanto ela trabalhava no roteiro do filme Phantamasgoria, ele a beijou sem sua permissão já que, na época, ela tinha uma namorado.


VIOLÊNCIA

Evan mostrou uma cicatriz em sua perna, mostrando a marca da letra M cravada em sua pele: "Ele cravou a letra E eu cravei a letra M na minha virilha, como um sinal de lealdade. E eu cravei bem perto da minha vagina para mostrar que eu era dele. Eu só quero ter essa cicatriz removida", desabafou. Ela acredita que ele tenha feito o mesmo com outras mulheres.


MANIPULAÇÃO

"Ele usava uma falsa empatia, tipo, dizendo: 'Não acredito que essas pessoas fizeram coisas ruins para você, te manipularam, e eu tenho que vir e te salvar'. Falsa empatia é uma maneira de manipular, uma maneira de te afastar de seus amigos e família", explicou a atriz sobre os comportamentos abusivos de Manson.


ESTUPRO

De acordo com o relato Wood, o cantor a violentou sexualmente nas gravações de Heart Shaped Glasses, quando ela tinha apenas 19 anos. O clipe se inspirou em Lolita, clássico de Vladimir Nabokov imortalizado nos cinemas por Stanley Kubrick, cuja história gira em torno de um pedófilo atraído por sua enteada. "Discutimos simular uma cena de sexo, porém, quando as câmeras começaram a rodar, ele me penetrou. Eu nunca concordei com isso, sou uma atriz profissional", disse.


OUTRAS VÍTIMAS

A atriz contou que após seu testemunho, começou a receber contatos de outras vítimas. "Também encontrei diversos relatos na internet de pessoas que passaram por situações com ele. E eu sabia que não era mentira porque era igualzinho a minha história. É tipo descobrir que você namorou um serial killer".


CONROLE

Qualquer um que se conectasse no wi-fi dele, teria, sem saber, o entregado suas informações pessoais. Eu já vi ele invadindo celulares e notebooks. Ele tinha acesso aos meus dados pessoais, ele controlava cada um dos meus movimentos", revelou Wood.


OBSESSÃO NAZISTA

Segundo a atriz, Manson considerava Hitler o primeiro rockstar. Nas palavras dele, ele "tinha estilo, poder e sabia controlar as massas". Wood também afirmou que ele caçoava de sua descendência judia, tendo uma obsessão com o líder e os pensamentos nazistas.

Assista ao trailer de Phoenix Rising, já disponível no HBO Max 👇


HFTV NAS REDES SOCIAIS 👇 

YOUTUBE | INSTAGRAM | TWITTER | FACEBOOK | SPOTIFY | NEWSLETTER