Hollywood Forever TV
Twitter Hollywood Forever TVYoutube Hollywood Forever TVInstagram Hollywood Forever TV

A história "real" e macabra que inspirou Stranger Things

O Projeto Montauk inspirou Stranger Things e foi um experimento militar secreto com crianças sequestradas.

@nicolybastos_| Publicado em 13/06/2022, às 17h18 - Atualizado às 17h30

A história "real" e macabra que inspirou Stranger Things - Reprodução
A história "real" e macabra que inspirou Stranger Things - Reprodução

O Projeto Montauk pode ser uma das teorias da conspiração menos conhecidas. Viagem no tempo, teletransporte e controle mental são parte da história, enquanto o contato com alienígenas e a encenação dos pousos lunares da Apollo adicionam cor. No entanto, mesmo depois de vários fatos paranormais e do fato de que muita gente acredita que inspirou a série Stranger Things, da Netflix, relativamente poucos ouviram falar da narrativa.

Então, como é que o Projeto Montauk – que acredita que elementos sombrios das forças armadas dos EUA transformaram duas instalações militares nos confins de Long Island em um centro de pesquisa ilícita e assustadora sobre o paranormal – foi esquecido?

As origens bizarras da história do projeto Montauk

A narrativa do Projeto Montauk começou em 1992, com um livro publicado por Preston B. Nichols chamado The Montauk Project: Experiments In Time. Já haviam rumores de que os militares americanos estavam realizando experimentos de guerra psicológica no extremo leste de Long Island já em meados da década de 1980, então o livro de Nichols adicionou combustível à história já existente.

Camp Hero e a Estação da Força Aérea de Montauk foram considerados os centros dessa pesquisa paranormal. Nichols começa dizendo que escreveu o livro depois de “recuperar” memórias de seu tempo como pesquisador do projeto e depois dá um relato detalhando o interior das instalações, seus procedimentos, tecnologias avançadas e inúmeros incidentes paranormais que ele afirma ter testemunhado.

Após a publicação do livro, outros começaram a se apresentar para dizer que também tinham conhecimento das pesquisas ilícitas conduzidas pelo Projeto Montauk

Experimentos em controle mental e telepatia, abertura de portais de espaço-tempo para outras dimensões, contato com vida alienígena e o sequestro de crianças fugitivas – tudo sob a autoridade de um militar dos EUA. 

A Experiência Filadélfia

A história do Projeto Montauk se cruza com a teoria da conspiração sobre o chamado experimento da Filadélfia, de 1943. De acordo com ela, os militares dos EUA estavam tentando encontrar maneiras de contornar o radar nazista durante a Segunda Guerra Mundial usando campos eletromagnéticos.

Quase todos os detalhes-chave são refutados por inconsistências cronológicas ou violações das leis estabelecidas da física. Além disso, não há duas releituras da história do experimento da Filadélfia iguais. No entanto, ela circulou por algumas décadas antes de ajudar a dar origem à história do Projeto Montauk.

Um conto de dois portais: do experimento Filadélfia ao projeto Montauk

Em 1984, foi feito um filme sobre o experimento da Filadélfia, intitulado The Philadelphia Experiment. Quando um homem de 57 anos chamado Al Bielek viu o filme em 1988, ele alegou que experimentou uma sensação avassaladora de déjà vu.

Usando terapias, Bielek disse que foi capaz de desbloquear um enorme estoque de memórias reprimidas sobre seu extenso envolvimento não apenas no experimento da Filadélfia, mas também em algo chamado Projeto Montauk e que os dois estavam entrelaçados.

Bielek contou sua história para uma audiência na conferência Mutual UFO Network em 1990, dizendo não apenas que o experimento da Filadélfia era real, mas que ele e seu irmão Duncan Cameron estavam a bordo do navio quando aconteceu. Ele disse que ninguém menos que o próprio Nikola Tesla projetou o “equipamento” que fez com que o navio chamado Eldridge saísse do espaço-tempo e que até abriu um buraco de minhoca para o futuro - que ainda deixou os dois irmãos no meio do acampamento de Montauk.

Socorro!

A cadeira Montauk, espionagem psíquica e portais através do tempo e do espaço

Preston Nichols detalha seu suposto trabalho na cadeira Montauk em seu livro, alegando que ela usava o eletromagnetismo para aumentar os poderes psíquicos de quem se sentava nela. Duncan Cameron - em uma estranha coincidência - passou a ter habilidades psíquicas substanciais, incluindo a capacidade de manifestar objetos com sua mente usando o dispositivo.

Isso já começa a soar familiar para quem acompanha Stranger Things, onde um dispositivo semelhante é usado pela personagem Eleven, interpretada por Millie Bobby Brown, para abrir um portal para a dimensão paralela e alternativa chamada Mundo Invertido.

Eleven de Stranger Things

As vítimas

Mais do que a visão remota ou qualquer uma das outras alegações de Nichols, aquela sobre o sequestro de crianças pequenas – algumas com menos de quatro anos – para usar como cobaias nos vários experimentos do Projeto Montauk é certamente a mais chocante. Nichols se referiu a eles como os Montauk Boys e disse que foram pegos da rua ou até mesmo levados de suas casas.

De acordo com Nichols, essas crianças foram tão psicologicamente destruídas pelo Projeto Montauk que a maioria esqueceria tudo sobre o que aconteceu no chamado Camp Hero pelo resto de suas vidas.

Um homem afirmou “recuperar” de forma semelhante suas memórias do Projeto Montauk, assim como Bielek e Nichols fizeram. Stewart Swerdlow, de 52 anos contou ao The Sun em 2017 que ele era um dos Montauk Boys que Nichols descreve e que ele e outros como ele foram submetidos a abusos horríveis:

Quando os experimentos começaram, eles tinham como alvo meninos ‘dispensáveis’ como órfãos, fugitivos ou filhos de viciados em drogas. O tipo de crianças que ninguém realmente procurava. O objetivo era quebrar sua mente para que eles pudessem programar você... eles mudariam a temperatura de muito quente para muito frio, passariam fome e depois o alimentariam em excesso. Lembro-me de ter sido espancado com uma vara de madeira".

"E eles adoravam segurar sua cabeça debaixo d'água até você quase se afogar", continuou. "Isso foi eficaz - faz com que uma pessoa escute e obedeça ao seu 'salvador'. Eles também usaram LSD para colocar nossos cérebros em um estado alterado”.

Swerdlow acrescentou que também observou funcionários do projeto abusando sexualmente das crianças. Em relatos bem paranormais, ele alegou que junto a outros Montauk Boys, foi enviado a Marte e de volta aos tempos bíblicos através dos portais do projeto.

Nos primeiros dias, enquanto eles estavam aperfeiçoando as coordenadas, muitos meninos estavam simplesmente perdidos”, disse ele. “Ainda tenho pesadelos com isso hoje. Eu não estava lá quando a cadeira Montauk foi desligada, mas senti, como se de repente tivesse sido desconectado da eletricidade".

O fim do projeto Montauk e a “verdadeira” história por trás de Stranger Things

O Projeto Montauk foi encerrado em 1980, depois que Nichols e Duncan Cameron, junto com outros participantes, se rebelaram contra o projeto quando algo especialmente sinistro se manifestou:

Finalmente decidimos que tínhamos o suficiente de todo o experimento. O programa de contingência foi ativado por alguém que se aproximando de Duncan enquanto ele estava na cadeira, simplesmente sussurrou “A hora é agora.” Nesse momento, ele soltou um monstro de seu subconsciente", relatou Nichols.

E o transmissor realmente retratou um monstro peludo. Era grande, peludo, faminto e desagradável. Comeria qualquer coisa que encontrasse. E destruiu tudo à vista. Várias pessoas diferentes viram, mas quase todos descreveram uma fera diferente.”

Nichols disse que eles tinham que destruir todo o equipamento para remover essa criatura da existência e enviá-la de volta à sua dimensão original. Esta seria a outra inspiração para uma narrativa semelhante em Stranger Things, onde Eleven convoca um monstro que também causa estragos.

Demogorgon de Stranger things

De acordo com a revista Variety, os criadores da série Matt e Russ Duffer foram tão inspirados pelo Projeto Montauk que o título original do sucesso da Netflix era simplesmente Montauk.

Depois que o cineasta Charlie Kessler entrou com uma ação contra os irmãos por supostamente plagiar seu curta-metragem, The Montauk Project, o cenário foi alterado de Long Island para os subúrbios de Indiana.

De acordo com Nichols, os níveis do porão do Camp Hero foram inundados com cimento uma vez que todo o equipamento foi destruído e o projeto encerrado, com todos os envolvidos no projeto tendo suas memórias do projeto suprimidas usando técnicas MK-Ultra.

E aí, acredita?