Hollywood Forever TV
Twitter Hollywood Forever TVYoutube Hollywood Forever TVInstagram Hollywood Forever TV

Disney financia lei anti LGBTQ+? Saiba o que é a Don't Say Gay

Disney financia lei americana homofóbica, e promove censurar seus personagens de falar a palavra gay.

Redação Publicado em 14/03/2022, às 15h21

Turning Red é a nova estreia da Disney Pixar. - Reprodução/Internet
Turning Red é a nova estreia da Disney Pixar. - Reprodução/Internet

Foi revelado na última semana que a Disney, como produtora e distribuidora, financiou um projeto de lei popularmente conhecido como Don’t Say Gay (Não diga gay, em tradução livre), criado por políticos conservadores do estado da Flórida. Veja a explicação do que a lei pretende propor:

A lei procura exigir que conselhos escolares adotem procedimentos de notificar os pais dos alunos sobre informações específicas; exigir que tais procedimentos reforcem o direito dos pais de guiar a educação de uma criança de maneira específica; proibir o corpo escolar de reter informações específicas sobre o comportamento da criança e, finalmente, proibir os distritos escolares de incentivar a discussão em sala sobre orientação sexual ou identidade de gênero nas turmas primárias.

Além disso, o texto procura garantir que os pais possam processar escolas ou professores que abordem esses temas, que qualquer professor “identifique” alunos como LGBTQIA+. O apelido surgiu da proposta de abolir a palavra gay das salas de aulas, ignorando completamente uma parte da sociedade.

A medida foi repreendida até pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden:

Foi revelado, então, que diversas empresas apoiam financeiramente o projeto, sendo uma delas a Disney. Na última quinta-feira (10), a Variety recebeu uma carta vinda da equipe de animação do estúdio Pixar, alegando que a Disney teria, sim, censurado casais homoafetivos de aparecer em suas animações.

“Nós da Pixar presenciamos pessoalmente lindas histórias, cheia de personagens diversificados, serem encaminhadas para a Disney apenas para estes personagens serem esmagados até se tornarem migalhas do que uma vez foram. Mesmo que se, ao criar personagens diversos, pudéssemos responder à legislação segregatória, nós somos impedidos de fazer.”

O CEO da Disney, Bob Chapek, se declarou em carta aberta, pedindo desculpas e realizando uma doação de U$5 milhões para organizações de ativismo LGBTQIA+, o que não caiu bem com alguns funcionários da Disney que, novamente, foram até a imprensa.

“Embora querer doar para essas organizações seja um passo na direção correta, a reunião de acionistas já deixou claro que isso não será suficiente. A Disney não assumiu uma posição clara a favor da comunidade LGBTQIA+, mas tentou se manter bem para ambos os lados. [...] Se a Disney for correta em seus valores, tomará uma posição pública decisiva contra a legislação preconceituosa que toma conta do país.”

Absurdo em pleno 2022, né? O novo filme da Disney Pixar, Turning Red, conta com um curta sobre um rapaz gay encontrando dificuldades em se assumir para os pais em sua abertura.


Sentiram falta dos causos de Hollywood? Dessa vez temos a junção elenco icônico de Euphoria com curiosidades bastante ˜inusitadas˜, do jeito que a gente gosta! Confere a @FeBSoares falando sobre A série do momento 🖤


HFTV NAS REDES SOCIAIS 👇 

YOUTUBE | INSTAGRAM | TWITTER | FACEBOOK | SPOTIFY | NEWSLETTER