Hollywood Forever TV
Twitter Hollywood Forever TVYoutube Hollywood Forever TVInstagram Hollywood Forever TV

Mick Jagger relembra e volta a exaltar Charlie Watts: “Não era uma diva”

"Ele era uma pessoa muito confiável, não era uma diva — essa é a última coisa que você quer em um baterista"

@nic_bastos | Publicado em 30/09/2021, às 15h27

Getty Images
Getty Images

Fazem quase dois meses que Charlie Watts, baterista dos Rolling Stones, nos deixou. Se os fãs sentem falta do astro, imagina os membros da banda, que consideravam ele mais do que essencial para a música e para suas vidas. Em entrevista recente ao The Howard Stern Show, Mick Jagger, vocalista do grupo, exaltou o amigo, dizendo que ele era o "coração" dos Rolling Stones.

👉 SIGA O HFTV NO TWITTER 👈

"Ele era uma pessoa muito confiável, não era uma diva — essa é a última coisa que você quer em um baterista. Charlie era um baterista muito sutil… Ele amava Jazz, e isso lhe deu a sutileza que talvez ele não teria se não tivesse sido um estudante de [Jazz] e tocado muito [isso]. Mas ele também era um baterista de Rock. Ele era um baterista de Rock constantemente — ele não era apenas um baterista de Jazz se exibindo ou tentando ser muito técnico".

Mick Jagger também ressaltou que sente muita falta dos momentos fora dos palcos com Charlie. "A gente gostava bastante de esportes — íamos a jogos de futebol, jogos de críquete. Tínhamos outros interesses além da música".

Vale lembrar que os Rolling Stones retomaram no último domingo (26) a No Filter Tour. Depois de um show privado de aquecimento Mick Jagger, Keith Richards e Ronnie Wood tocaram no Dome at America's Center, um grande estádio em St. Louis, nos EUA. Sobre a falta que o bateirista faz, ele pontuou:

"Cada vez que nos reunimos agora e ensaiamos, sempre pensamos: ‘Ah, sim, e Charlie diria isso e depois faria aquilo’. Ele era um cara muito peculiar e sentimos muita falta dele. Fizemos tantos shows com ele e tantas turnês com ele e tantas gravações, é estranho estar sem ele. Mas, você sabe, nós decidimos, e quando ele estava doente, ele disse: ‘Bem, vocês têm que simplesmente continuar e fazer esta turnê — não parem por minha causa’. Então nós o fizemos".